Os 12 ingredientes cosméticos mais temidos

Toxic-Cosmetics…-What-You-May-Not-KnowSe você passou algum tempo lendo informações sobre cosméticos na Internet, sem dúvida deparou com histórias assustadoras sobre ingredientes perigosos e “tóxicos”. Pode ser o chumbo no batom, o mercúrio no rímel, ou alguma outra manchete escandalosa, mas a mensagem é sempre a mesma, os cosméticos matam e as empresas de cosméticos estão mais preocupadas com o lucro do que com a produção de produtos seguros. Isso é um absurdo completo e grupos que propagam essas ideias são ruins para a sociedade e para os químicos cosméticos.

Então aqui apresentamos um olhar sobre os 12 ingredientes cosméticos mais difamados para saber quais ingredientes cosméticos são prejudiciais, por quê e se é verdade ou não. Assim, da próxima vez que um amigo ou membro da família perguntar sobre isso, você saberá responder melhor.

Os 12 ingredientes mal-falados
1. Parabens (Parabenos)
2. Diazolidinyl Urea (Diazolidinil ureia)
3. Diethanolamine (Dietanolamina)
4. Sodium Lauryl Sulfate (Lauril sulfato de sódio)
5. Petrolatum (petrolatos)
6. Mineral Oil (óleo mineral)
7. Propylene Glycol (propileno glicol)
8. Triclosan (triclosan)
9. Fragrance (fragrância)
10. Color pigments (corantes / pigmentos)
11. PEG — Polyethylene Glycol (polietileno glicol)
12. Talc (talco)

Parabenos

parabenosParabenos incluem ingredientes como metilparabeno, propilparabeno e butilparabeno. Eles são usados em cosméticos para evitar a contaminação por micróbios. Sua alta estabilidade de temperatura, alto nível de eficácia e longo registro de segurança fazem deles uma excelente escolha de conservantes.

Os parabenos foram recentemente criticados por certos grupos de consumidores e empresas totalmente naturais. Eles alegam que os parabenos são “…um forte interferente hormonal. Tem ligações diretas com câncer de mama e problemas cardíacos”. Essas alegações não são verdadeiras, não são baseadas em ciência e são exageros completos.

Para um relato completo dos parabenos e sua segurança em cosméticos, veja estes excelentes artigos:

Perguntas e respostas sobre parabenos
Mais perguntas e respostas sobre parabenos

Diazolidinyl Urea / DMDM Hydantoin (Diazolidinil uréia/ DMDM hidantoina)

diazolidinyl urea

Diazolidinil uréia

Como os parabenos, esses ingredientes cosméticos são conservantes adicionados para combater micróbios causadores de doenças. Eles são chamados de “liberadores de formaldeído”, porque quando colocados em uma solução eles se dissociam em íons, um dos quais forma formaldeído. O formaldeído mata micróbios rapidamente.

O formaldeído é um ingrediente assustador para as pessoas, pois tem sido demonstrado que causa irritação, mutações genéticas e câncer. Mas os doadores de formaldeído não são a mesma coisa que o formaldeído e a quantidade de exposição obtida dos cosméticos está bem dentro dos níveis seguros.

Veja no link abaixo a explicação resumida do motivo pelo qual os doadores de formaldeído são seguros para cosméticos.

O mito sobre o formol

Para uma revisão completa do formaldeído, consulte este relatório de toxicologia do CDC.

Triclosan

Triclosan.svg

Triclosan

O triclosan é um ingrediente antibacteriano adicionado aos cosméticos para reduzir ou prevenir a contaminação bacteriana. Geralmente é encontrado em sabonetes antibacterianos, sabonetes para as mãos, creme dental e desodorantes. A FDA (órgão que regula alimentos e medicamentos nos EUA) afirmou sua eficácia e regula os produtos que contêm triclosan como medicamentos de balcão.

Alguns grupos se opõem ao triclosan por várias razões. Eles dizem que o Triclosan pode produzir um produto químico tóxico e prejudicial aos hormônios. Isso representaria riscos crônicos de saúde a longo prazo, alteraria o material genético e causaria defeitos congênitos. Também poderia danificar rins, pulmões, fígado, etc.

Cientistas independentes que estudam o Tricolsan chegam a conclusões diferentes. A segurança do triclosan foi estabelecida, mas estudos recentes levaram a FDA a reexaminar os dados. Mas a partir de agora,

“a FDA não tem provas de segurança suficientes para recomendar a mudança no uso do consumidor de produtos que contêm triclosan neste momento”

Você pode saber mais sobre o status do Triclosan (nos EUA) neste artigo da FDA sobre triclosan.

Uma preocupação interessante sobre o Triclosan é que ele tem o potencial de criar “super-bactérias” resistentes aos seus efeitos. Isso tem alguns cientistas sugerindo que não deveria ser usado em cosméticos. Eles podem ter um ponto.

Sodium Lauryl Sulfate (Lauril Sulfato de Sódio)

SLS, SLES são detergentes usados em tudo, desde sabonetes para o corpo, limpadores de mãos, xampus e até pasta de dente. Eles realmente são surfactantes versáteis.
Eles também são os surfactantes mais difamados em toda a indústria cosmética. Basta fazer uma pesquisa no Google por lauril sulfato de sódio e você encontrará muitos sites dizendo o quanto isso é horrível. Reclamações como “pode causar queda de cabelo”, “causa câncer” e “a substância química mais perigosa encontrada em produtos para cabelo e pele” são repetidas com frequência.

SLS

Lauril Sulfato de Sódio

Claro, SLS pode ser irritante (muitos surfactantes são), mas o CIR (Cosmetic Ingredient Review) reviu e encontrou o seguinte:

“Lauril Sulfato de Sódio e Lauril Sulfato de Amônio parecem ser seguros em formulações projetadas para uso descontínuo e breve, seguido de enxágue completo da superfície da pele. Em produtos destinados a contato prolongado com a pele, as concentrações não devem exceder 1% ”

SLS é usado em produtos cosméticos porque é eficaz, barato e seguro.

Diethanolamine (Dietanolamina)

dietanolamina

Dietanolamina

Falando de surfactantes difamados, Dietanolamina está ao lado do SLS por péssima fama na imprensa. É um surfactante secundário adicionado a fórmulações cosméticas para aumentar a espuma e melhorar a sensação de espuma. Normalmente não é adicionado diretamente às fórmulas, mas sim adicionado na forma de Cocamide DEA, Lauramide DEA ou Stearamide MEA. A preocupação é com os resíduos de DEA, não com os surfactantes propriamente.

A preocupação sobre o assunto foi levantada quando um estudo de 1998 do Programa Nacional de Toxicologia Americano (NTP) encontrou uma associação entre a aplicação tópica de dietanolamina (DEA) e certos ingredientes relacionados a DEA e câncer em animais de laboratório. Rapidamente os grupos com medo da química correram para alegar que a DEA é um “produto químico disruptor de hormônios que pode formar nitratos causadores de câncer”. Assim muitas companhias de produtos de cuidado pessoal substituíssem a DEA por outras opções.

No entanto, o medo é infundado e o FDA analisou todos os dados mais recentes e concluiu:

“atualmente não há motivo para os consumidores ficarem alarmados com base no uso dessas substâncias em cosméticos.”

Certamente, o FDA continuará a revisar DEA contendo ingredientes, mas no momento, não há preocupação de segurança estabelecida.

Petrolatum (Petrolatos)

petrolatumAh, um dos meus ingredientes favoritos, petrolato. É um excelente material para hidratar a pele e também para criar penteados lisos. Infelizmente, esta mistura de hidrocarbonetos derivada do petróleo é também o ingrediente favorito dos grupos propagadores de medo de produtos químicos.

Qual é a reclamação? Há muitas alegações, mas basicamente a batida no petrolato é que causa câncer e o fato de ser proibido na União Européia.

A FDA analisou a segurança do Petrolato e determinou que é um ingrediente seguro para uso. Na verdade, é até seguro para uso em produtos alimentícios. E, no que diz respeito à União Européia, ele não é proibido em cosméticos. Petrolato pode e é usado em cosméticos em quantidades adequadas.

Óleo mineral

oleo mineralO óleo mineral é outro ingrediente hidratante da pele que recebe um invólucro ruim de produtores de produtos naturais e outros grupos de produtos químicos. Eu nunca entendi isso porque o Óleo Mineral é um ingrediente natural que vem direto da Terra.

Não importa, aqui estão algumas das afirmações sobre o óleo mineral.

“O óleo mineral contém substâncias cancerígenas”
“O óleo mineral seca a pele e causa envelhecimento prematuro”
“Rouba as vitaminas da pele”
“Ele obstrui os poros e impede a absorção de colágeno”
“Causa acne”

Nenhuma dessas afirmações é verdadeira conforme revisado neste artigo sobre óleo mineral.

Propylene Glycol

Propylene_glycol_chemical_structure

Propileno glicol

O propilenoglicol é um umectante e diluente frequentemente usado em formulações cosméticas. É um material útil, pois é compatível com vários materiais e possui benefícios próprios.

Lamentavelmente, também se diz que penetra na pele e enfraquece as proteínas e causa anomalias no cérebro, na vida e nos rins. É claro que também se diz ter ligação com câncer. E você sabia que é usado em anticongelantes?

Eu nunca entendi porque o PG é tão temido, mas de acordo com cientistas do FDA, CIR e National Toxicology Program, existe uma preocupação insignificante relacionada ao seu uso. Na verdade, o PG é tão seguro que ganhou a designação de GRAS (geralmente considerado como seguro) do FDA. Inclusive, é seguro o suficiente para comer.

Fragrância

fragranciaFragrâncias são adicionadas aos cosméticos para fazer os produtos cheirarem melhor ou reforçar alguma propaganda. Cosméticos sem fragrância não vendem tão bem, por isso os químicos cosméticos os adicionam.

Mas alguns grupos vão levar você a acreditar que todas as fragrâncias são horríveis. Eles “causam dores de cabeça, tontura, erupções alérgicas, descoloração da pele, tosse violenta, vômitos e irritações na pele. As fragrâncias afetam o sistema nervoso, causam depressão, hiperatividade, irritabilidade, incapacidade e outras mudanças comportamentais.

Na verdade, existem produtos químicos em fragrâncias que podem causar problemas em níveis suficientemente altos. Existem até ingredientes que a UE exige que as empresas etiquetem porque são alérgenos conhecidos. No entanto, fragrâncias são cuidadosamente examinadas por cientistas independentes da IFRA. Há um nível seguro de uso e casas de fragrância seguem estas diretrizes.

Corantes e pigmentos

pigmentosSem corantes, a maioria das fórmulas cosméticas seria amarela ou marrom. Cosméticos coloridos não existiriam. A queixa é que os corantes artificiais são cancerígenos. Como de costume, essa afirmação não é apoiada pela ciência.

De todos os ingredientes em cosméticos, os corantes são os mais altamente regulados. Cada lote de corante deve ser aprovado pelo FDA antes do uso. O FDA também monitora a segurança dos corantes. Qualquer aditivo de cor que é possa causar câncer em animais (ou seres humanos) não pode ser usado em cosméticos.

PEG

PEG_75pcPEGs (polietilenoglicóis) são usados em cosméticos por uma variedade de razões, incluindo hidratação, espessamento, emulsificação, solubilidade, etc. Seria difícil produzir muitos cosméticos modernos sem eles.

No entanto, os propagadores de produtos químicos temem que o PEG seja um material cancerígeno que irá secar e envelhecer sua pele rapidamente. São as reivindicações típicas relacionadas a qualquer ingrediente derivado do petróleo.

De acordo com um artigo na revista Toxicology de 2005, os cientistas concluíram que

“levando em consideração todas as informações disponíveis dos compostos relacionados, bem como o modo e mecanismo de ação, nenhuma preocupação com segurança em relação a esses pontos finais poderia ser identificada”.

Os grupos anti-química não estão baseando suas preocupações na ciência.

Talco

talcoTalco é um ingrediente em pó utilizado em cosméticos para absorver a umidade e como preenchimento. É composto de silicato de magnésio hidratado em pó.

A principal preocupação com o talco é que ele está ligado ao câncer de ovário. Isto é baseado em um estudo publicado durante a década de 1990.

A revisão subsequente de todos os dados disponíveis demonstrou que o talco é seguro quando usado conforme as instruções. Os dados de talco mais recentes suportam esta afirmação. O esforço para evitar o talco não é baseado na ciência.

O que os químicos cosméticos podem fazer?

pesquisadoresComo um químico cosmético, você é quem toma a decisão de usar determinado ingrediente ou não. Cabe a você ver o que os melhores dados CIENTÍFICOS têm a dizer sobre os ingredientes antes de fazer qualquer escolha para usá-los ou não. Esqueça o que os consumidores dizem, ou grupos que propagam o medo dizem, ou até mesmo o que o pessoal de marketing acredita. Os ingredientes cosméticos são testados e as respostas sobre segurança estão disponíveis para pessoas curiosas o suficiente para olhar além de uma pesquisa no Google de blogs populares.

Claro, sua equipe de marketing pode querer remover alguns desses ingredientes por causa de propagandas ruins, mas isso não altera o fato de que nenhum desses materiais representa um risco significativo para os consumidores quando usados em cosméticos.

Esse artigo foi traduzido e adaptado do original “The 12 Most Maligned Cosmetic Ingredients” escrito por Perry Romanowski. Perry é um Químico cosmético com grande experiência na área e mantém dois sites sobre o assunto, um para químicos (Chemist Corner) e outro para o público em geral (The Beauty Brains), ambos em inglês, além de contribuir em outros blogs sobre química de cosméticos.

Nós esquecemos de algum ingrediente difamado? O que você acha da segurança dos ingredientes cosméticos? Este artigo esclareceu suas dúvidas? Deixe um comentário abaixo e compartilhe esse post em suas redes sociais!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s